É verdade que o Governo está distribuindo ar-condicionado? Foi confirmado!

Nas últimas semanas, uma notícia surgiu nas redes sociais prometendo um programa de distribuição gratuita de ar-condicionado, uma parceria alegada entre o governo e a renomada marca LG. No entanto, uma investigação mais aprofundada revela que a realidade por trás do anúncio é substancialmente diferente.

Contrariamente ao que tem sido propagado, a notícia não passa de um boato enganoso, com o intuito de aplicar golpes nos usuários. 

Conforme os anúncios, para usufruir do suposto benefício, bastaria acessar um site e efetuar o pagamento de um valor simbólico de R$ 133,79. Essa mensagem tem se disseminado por meio de plataformas como Facebook, Instagram e YouTube.

O site especializado boatos.org, que se dedica a confrontar informações circulantes na mídia, concluiu que essa notícia é, de fato, um boato. Três critérios fundamentais foram considerados para essa conclusão: a veracidade da informação, sua propagação e o aspecto financeiro envolvido.

É relevante notar que os golpistas costumam utilizar sites clonados, imitando páginas confiáveis, para dar credibilidade ao golpe. No caso em questão, uma página falsa imitando o layout da CNN foi utilizada para promover o programa fictício. A verdade é que a CNN não fez nenhuma publicação oficial sobre o tema.

Como funciona esse tipo de golpe?

Após a veiculação nos sites clones, os golpistas redirecionam os usuários para outro site, onde um chatbot solicita o pagamento simbólico de R$ 133,79. Aqueles que efetuam o pagamento, na esperança de “participar do programa”, tornam-se vítimas do golpe. 

Infelizmente, a probabilidade de recuperar o dinheiro é ínfima, pois os golpistas desaparecem frequentemente com o valor, sem cumprir suas promessas, como no caso do ar-condicionado governamental.

Para evitar cair nesse tipo de golpe, é crucial seguir algumas orientações claras: evite acessar sites suspeitos, não clique em links desconhecidos e, principalmente, não realize pagamentos. 

Verificar a URL da fonte oficial e buscar notícias em fontes confiáveis no Google sobre a suposta promoção também são medidas recomendadas. Ficar atento e informado é a melhor defesa contra esse tipo de fraude na era digital.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.